Este site utiliza cookies com o propósito de facilitar a navegação, lembrar as preferências dos usuários e aferir dados através do Google Analytics, em conformidade com as orientações do Conselho de Proteção de Dados, para garantir o uso adequado da privacidade. Clique aqui para mais informações

Conteinerização

A invenção do navio porta-contêineres há 60 anos por Malcolm McLean introduziu uma revolução no comércio global e mudou para sempre o transporte marítimo mundial.

Atualmente, o transporte em contêineres é responsável por mais de 80% de toda a carga non-bulk despachada no mundo inteiro. Todos os anos, 20 milhões de contêineres fazem mais de 200 milhões de viagens de entrega de mercadorias em todo o mundo através de transporte ferroviário, rodoviário e marítimo.

O valor do conteúdo de um contêiner varia substancialmente de alguns milhares a milhões de dólares. Além disso, a carga varia de produtos a granel para peças de uma máquina.

O tráfego de contêiners nos portos

O tráfego de contêineres é medida pelo fluxo de contêineres nos portos, desde terrestres para os modais de transporte no mar e vice-versa, em unidades equivalentes a 20ft (TEU'S). O gráfico mostra o rápido crescimento da movimentação de contêineres nos portos em todo o mundo nos últimos 15 anos (fonte).

Um aumento no risco

Além de aumentar os volumes em trânsito, os navios que transportam estes contêineres estão ficando maiores. O moderno cargueiro Triple E pode transportar cerca de 20.000 contêineres de aço. Com estes volumes e capacidades altíssimas, as chances de incidentes de segurança aumentam, colocando enormes responsabilidades nos cargueiros - um contêiner protegido de forma incorreta pode ter um efeito desastroso. 

Riscos no contêiner

Durante uma viagem de Rotterdam a Nova York, um contêiner na linha superior de um navio Triple-E terá um deslocamento de 40 km (25 milhas) devido ao movimento lateral e vertical. Com uma contenção inadequada, a embalagem terá impacto no interior do contêiner a cada poucos segundos, causando danos aos produtos.

Uma significância de 65% dos incidentes de conteinerização pode ser rastreada a partir do acondicionamento e proteção precária - arriscando danos à carga, ao manuseio pessoal e ao meio ambiente.

Regras e regulamentos

É importante lembrar que os cargueiros são responsáveis pelos contêineres que foram embarcados. As regras e regulamentos aplicam-se ao transporte de contêineres. Uma das principais diretrizes aceitas globalmente é o código CTU, que fornece orientação sobre o acondicionamento correto da carga.

Outro regulamento relacionado aos contêineres tem origem a partir da AAR e da IMO - que apresentaram métodos aprovados de especificação Massa Bruta Verificada (MBV) em julho de 2016. A conformidade com tais regras e regulamentos reduzem as chances de um incidente bem como reclamações ou recusas em portos ao redor do mundo. 

Ajudando nossos clientes no cumprimento

Com mais de 50 anos de experiência na contenção de cargas em todo o mundo, a Cordstrap ajuda as empresas a transportar com segurança cargas perigosas e não perigosas em contêineres. Como líder mundial do mercado, nós entendemos a maneira como diferentes cargas se comportam -, bem como a forma de cumprir a legislação global que se aplica a elas.

As soluções de contêineres da Cordstrap são compatíveis e aprovados pelo CTU complacente e AAR, reduzindo o risco de reclamações e rejeições. Elas foram projetadas especificamente para proteger tambores, IBCs, caixas de papelão, sacos e latas em paletes e são reconhecidas pelos clientes em todo o mundo por sua durabilidade e redução de custos, bem como a sua segurança.

Linha de Produtos Cordstrap

Assuntos relacionados:

Para conselhos de especialistas sobre soluções de contenção de cargas, entre em contato agora

Contato

Mantendo a carga segura pelo mundo

A Cordstrap possui especialistas em mais de 50 escritórios pelo mundo

50 anos de experiência

Oferecendo soluções em contenção de carga

Contenção em Cargas Globais

A visão da Cordstrap sobre as histórias e tendências de transporte pelo mundo